Beladona (Amaryllis belladonna)


A Beladona (Amaryllis belladonna), conhecida também pelos nomes comuns de amarílis, beladona-falsa ou meninas-pra-escola, é uma planta perene, bolbosa, da família Amaryllidaceae, nativa do Cabo Ocidental, África do Sul. (Não confundir esta Beladona com Atropa belladonna, as duas partilham o mesmo nome comum).

Nome Comum: Beladona, Amarílis, Beladona-falsa, Meninas-pra-escola
Nome Científico: Amaryllis belladonna
Altura: 60cm
Aplicações: Fronteiras Vasos
Características principais: Flor perfumada Ornamental
Ciclo de vida: Bulbosa Perene
Clima: Equatorial Mediterrâneo
Cor das flores: Rosa
Cor das folhas: Verde-escuro
Crescimento: Moderado
Família: Amaryllidaceae
Luminosidade: Pleno Sol
Origem: África
Porte: Herbáceo
Rega: Escassa
Tipo de planta: Flor
Precauções: Tóxica

A planta desenvolve-se a partir de um bolbo arredondado, semelhante a uma cebola, de 5 a 10 cm de diâmetro, revestido por escamas acastanhadas. O bolbo deve ser plantado próximo da superfície do solo e apresenta uma taxa de crescimento moderada, mantendo-se activo durante múltiplos anos. O bolbo permanece em dormência durante o verão, perdendo a parte aérea logo que o solo começa a secar.

As flores perfumadas são vistosas, atrombetadas e aparecem sazonalmente, logo após as primeiras chuvas e antes das folhas, em hastes de 60 cm de cor castanho-avermelhado brilhante. Cada inflorescência pode conter de 9 a 12 flores e tende a orientar-se na direcção em que recebe mais iluminação solar. Têm até 10 cm de comprimento e corola com 8 cm de diâmetro, exibindo-se em cores pálidas, inicialmente tendendo para o rosa-claro, escurecem para o rosa-escuro ou vermelho com o envelhecimento. Existem cultivares com coloração floral mais acentuada, incluindo tons de lilás e de alaranjado. A flor emite um odor agradável, mais intenso ao anoitecer. As flores são hermafroditas, com os 6 estames e estilete fortemente encurvados para cima.

As folhas são simples, de coloração verde a verde-escuro e lineares com 30 a 50 cm de comprimento e 2 a 3 cm de largura. Desenvolvem-se a partir do bolbo, agrupadas em duas filas opostas. As folhas surgem no final do outono e secam no final da primavera, o que marca a entrada da dormência do bolbo. O bolbo permanece em dormência até às primeiras chuvas.

As Beladonas são amplamente comercializadas no meses de Inverno pela sua capacidade de florescer em interiores. São cultivadas em regiões livres de geadas intensas para fins ornamentais, geralmente em bermas de caminhos e estradas.

Cultivo

A forma mais comum de cultivo é através do transplante de bolbos, o que deve ser feito na primavera, quando estes iniciam a sua fase de dormência. O plantio é feito em regos. O solo ideal para o crescimento desta planta é uma mistura de terra de jardim e solo mineralizado.

As Beladonas não necessitam de quaisquer cuidados, podendo manter-se indefinidamente sem qualquer intervenção humana. Contudo, em regiões sujeitas a geadas, há que ter em atenção a sensibilidade dos bolbos à congelação pois, se esta danificar a gema, o bolbo degenera e morre. Nessas regiões, para evitar os danos pelo frio, os bolbos devem ser cobertos com palhas, manta morta ou detritos vegetais.

A planta é resistente à seca, permanecendo dormente até a humidade no solo permitir o seu desenvolvimento. Por essa razão apenas necessita de rega em situações de seca extrema ou quando ocorram secas outonais ou invernais após chuvas que tenham quebrado a dormência.

As necessidades de luz variam segundo a época do ano, mas a espécie prefere locais bem expostos ao sol, preferencialmente em taludes voltados para o equador ou em zonas bem drenadas e despidas de vegetação de grande porte que possa causar sombra. Apesar disso tolera alguma sombra, embora perca vigor e reduza a floração.

O bolbo é tóxico.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *